Comando para Ignorar Faixa de Opções
Ir para o conteúdo principal

Skip Navigation LinksCodigo-2D

Solicitar código de barras
Skip Navigation LinksGS1 Brasil > Códigos e Padrões > O que você precisa? > Código 2D - revolução e facilidade

Código 2D - revolução e facilidade

A venda de um produto começa com um código de barras GS1.

Há mais de 30 anos no Brasil, a GS1 oferece revolução para os negócios. Com um simples bipe, qualquer produto pode ser identificado e conectado a um sistema.


código de barras é hoje fundamental para empresas de todos os portes, para comercializar seus produtos de forma física ou on-line com rapidez, segurança e eficiência.

O código de barras 2D traz revolução e facilidade aos processos de compra e venda. A capacidade de armazenar dados foi ampliada, ao mesmo tempo em que o espaço ocupado pelo código foi reduzido.

Com o código de barras 2D, as empresas poderão proporcionar uma experiência única aos consumidores, afinal, basta um aplicativo no celular para fazer a leitura do código e acessar uma grande variedade de informações.


O futuro do código de barras

Em um mundo onde a tecnologia avança a passos largos, é difícil pensar que antes mesmo de existir o smartphone, empresas já usavam código de barras e eles continuam a oferecer uma infinidade de soluções na cadeia de suprimentos.

PORÉM, O TEMPO FOI EXIGINDO ADAPTAÇÕES.

As empresas precisavam inserir mais informações nos produtos, que não eram mais suportadas apenas em um código de barras. Outros códigos e símbolos foram implementados, comprometendo o design dos produtos e a experiência do consumidor.

Nesse contexto, o código 2D chegou como a solução que o mercado precisava.

           







O que é o código 2D?

Código 2D, como o próprio nome já diz, é um código bidimensional.

Ele utiliza ambas as dimensões, horizontal e vertical, para codificar dados em uma pequena área.

Existem algumas variáveis do Código 2D, porém o mais conhecido no mercado é o QR Code.

Quais as diferenças entre códigos 1D e códigos 2D?



Códigos 1D

 São lineares, formados por linhas e espaços paralelos.

 Trabalham com informações na dimensão horizontal.

 A maioria contém apenas um GTIN.

 Podem ser digitalizados por scanners a laser tradicionais ou por scanners baseados em imagens.



Códigos 2D

 Formados por espaços escuros e claros em uma grade, como um tabuleiro de xadrez.

 Trabalham com informações em ambas dimensões: horizontal e vertical.

 São menores que os códigos 1D, mas carregam mais dados, já que a quantidade de espaços é maior.

 Melhor acessibilidade de leitura.

Obs.: requer um scanner baseado em imagem para leitura. Os scanners a laser tradicionais não são compatíveis para esse formato. Mas existem diversos aplicativos para smartphones capazes de realizar a leitura desses códigos por meio da câmera fotográfica.



 Melhor controle sobre os lotes de produtos.

 Menos problemas com códigos parcialmente destruídos nas embalagens externas.
 
 Melhor experiência ao consumidor.
 
 Mais informações codificadas em menos espaço. Velocidade de digitalização superior.
 
 

Setores impactados pela alteração para o código 2D

 

Varejo

O varejo terá muitos benefícios com o código 2D, principalmente no PDV.

Os produtos já virão de fábrica com mais informações prontas na embalagem que poderão ser automaticamente inseridas em seu sistema de gestão, aumentando a produtividade das empresas.

Além disso, o código bidimensional facilita o controle de estoque, garante segurança na hora da compra, traz agilidade de leitura e também a prevenção de perdas, principalmente em produtos perecíveis.



Indústria

Para a indústria, o código 2D apresenta uma solução para muitos desafios, bem como oportunidades de crescimento e melhores resultados.

Com o código 2D há maior controle de lotes e rastreabilidade, aumentando a segurança dos produtos.
É uma oportunidade, ainda, de desenvolvimento de embalagens mais inteligentes e uma excelente ferramenta de marketing.



Provedor de soluções

Os provedores de soluções serão impactados diretamente com a implementação dos códigos 2D, devido ao aumento do número de informações compartilhadas. As soluções devem assegurar a interoperabilidade.

Os sistemas deverão estar prontos para receber mais informações e fazer as integrações necessárias de forma automática.



Consumidor

Os consumidores terão acesso mais rápido e mais completo às informações do produto.

Além disso, com a possibilidade de melhorias nas estratégias de marketing, a experiência com as marcas será completa, gerando mais identificação e fidelização.

Uma nova experiência no PDV

O ponto de venda é qualquer local onde se completa uma transação de compra e venda de varejo, seja de bens ou serviços.

O código 2D é uma ótima maneira de garantir uma experiência digital singular aos consumidores. Eles podem escanear o código, que será digitalizado igualmente no PDV. Assim, o consumidor é direcionado ao produto de forma inteligente na nuvem e, com isso, acessa a uma variedade de conteúdos e serviços.


CÓDIGO 2D = ESTRATÉGIA PARA MELHOR EXPERIÊNCIA E SEGURANÇA DO CONSUMIDOR.


 Parceiros

 
 
  • Gerenciamento de estoques
  • Rastreabilidade
  • Segurança
  • Sustentabilidade
  • Engajamento
  • Embalagem estendida
  • Acuracidade de inventário
  • Autenticidade de produtos
  • Prevenção de perdas
  • Experiência
  • Gerenciamento de trocas
  • Gerenciamento de data de validade
  • Dados mais completos.

Em um mercado cada vez mais atualizado, sua empresa pode sair à frente na transição dos códigos de barras.

Use a solução inovadora do código 2D como uma estratégia competitiva para seu negócio.

GS1 = Inovação desde a fundação

A GS1 está inovando e trazendo soluções ao mercado através do código 2D.

Porém, essa não é a primeira inovação na história da GS1. Somos uma empresa que inova e realiza, desde a fundação.


1952

Bernard Silver e Norman Joseph Woodland recebem a patente do primeiro código de barras.

1974

Um supermercado Marsh, em Troy, Ohio, lê o primeiro produto com código de barras: uma caixa de dez embalagens de chiclete Wrigley’s Juicy Fruit.

1975

O Brasil começa a substituir os registros manuais das operações comerciais por caixas registradoras eletrônicas.

1977

É criado o European Article Number (EAN), o código-padrão europeu.

1983

É fundada a Associação Brasileira de Automação Comercial (ABAC), que depois se tornará EAN Brasil e, mais adiante, GS1 Brasil.

1985

A ABAC se filia à EAN Internacional.

1985

O código de barras é utilizado na Castanha-de-Caju Cajuê, primeiro produto a utilizar a tecnologia no Brasil.

1994

Lojas automatizadas e projetos experimentais de estabelecer uma linguagem comum entre as empresas.

2004

A EAN Brasil passa a chamar-se GS1 Brasil.

2007

A GS1 é premiada com o 6° Marketing Best de Responsabilidade Social.

2021

Após 50 anos, mais de dois milhões de empresas em 150 países usam os Padrões GS1 para fazer seus negócios andarem todos os dias.


Conheça mais sobre nossas soluções e inovações para seu negócio.