Comando para Ignorar Faixa de Opções
Ir para o conteúdo principal
Compartilhe:
07/11/2014

Boas práticas conectam pequenos cafeicultores com o mercado internacional

O cultivo do café por pequenos produtores chega a 81% do mercado, representando 45% da área colhida. E a partir de agora, a abertura para mercados internacionais para o café produzido em propriedades familiares se torna uma realidade mais próxima.

O café é uma das bebidas mais consumidas em todo o mundo e, além de manter sua popularidade global, alcançou nos últimos anos o status de alimento gourmet. Boa parte desse sucesso se deve aos pequenos agricultores que, mesmo diante de entraves como custo de produção e gestão das propriedades, trabalham pelo aumento produtividade e da qualidade do grão produzido no Brasil. No país, o cultivo por pequenos produtores chega a 81% do mercado, representando 45% da área colhida. E a partir de agora, a abertura para mercados internacionais para o café produzido em propriedades familiares se torna uma realidade mais próxima.

Em uma iniciativa envolvendo diversos elos da cadeia, um grupo com 143 pequenas unidades cafeicultoras do estado de Minas Gerais conquistou o selo de boas práticas de cultivo pela UTZ Certified, programa para o cultivo sustentável de café, cacau e chá. As propriedades contempladas fazem parte do programa Caminho Sustentia, que leva a esse público uma proposta de serviços e benefícios adicionais aos já disponíveis na plataforma NUCOFFEE. O Caminho Sustentia teve início com a formação de um sistema interno de gestão que é coordenado em parceria com cooperativas cafeeiras. O programa monitora e valida o processo de implementação da certificação em grupo, a partir de ferramentas de rastreabilidade e planejamento agrícola. Também foram incorporadas soluções para a melhoria da produtividade e qualidade do café e serviços de capacitação e auditoria, facilitando aos pequenos agricultores a adesão aos princípios de boas práticas agrícolas.

Nesse cenário, o convênio firmado com a UTZ Certified agregou ao projeto o conceito de “better farming”, a promoção de condições justas de trabalho no campo e a geração de menor impacto ambiental e ascensão da biodiversidade. Uma vez implementadas, essas iniciativas resultam em maior produtividade, maior qualidade e menor custo de produção, além de um meio ambiente mais saudável e melhor qualidade de vida para os cafeicultores. Cada uma das frentes terá métricas de mensuração e avaliação.

“Estamos disseminando conhecimento com essa iniciativa em um formato de colaboração que possibilitará aos produtores estarem mais bem organizados e melhorarem sua performance agrícola, ao passo em que cumprem as regulações nacionais e ambientais”; disse Eduardo Sampaio, representante da UTZ Certified no Brasil.

“O Caminho Sustentia, em comparação com a plataforma NUCOFFEE, tem como foco o pequeno produtor, que desenvolve suas atividades em áreas com até 20 hectares, ou o equivalente a 85% das propriedades dedicadas à cafeicultura no Brasil”, explica Giuliano Tozzi, diretor de especialidades de Syngenta no Brasil. “Essa decisão faz parte do The Good Growth Plan, nossa iniciativa global de fomento à produção sustentável de alimentos, que tem o cuidado como o pequeno agricultor como um de seus compromissos”, conta o executivo.

O projeto completou o primeiro ano de implementação. Agora o Caminho Sustentia se prepara para a segunda etapa, buscando aumentar a adesão de novos produtores e continuar o ciclo de evolução (previsto em 4 anos) com as fazendas certificadas em 2014.


Fonte: Cultivar