Comando para Ignorar Faixa de Opções
Ir para o conteúdo principal
Compartilhe:
22/12/2014

GS1 participa de trabalho global para produção sustentável

Duas importantes iniciativas globais para a agricultura sustentável reconheceram a necessidade de um serviço global de identificação e certificação de propriedades rurais produtoras de alimentos. A GS1 foi a entidade selecionada pelo United Nations Global Compact Food and Agriculture Business Practices (UNGC FAB) e pela Declaration of Abu Dhabi para prover um serviço de registro padronizado.

Para o UNGC FAB, a importância da participação da GS1 no processo de identificação está na melhoria da rastreabilidade da cadeia de abastecimento alimentar. Ou seja, o trabalho da GS1 voltado à segurança do alimento, que apoia a cadeia de valor do campo à mesa, está sendo reconhecido mundialmente.

O principal objetivo do UNGC FAB e da Declaration of Abu Dhabi é incentivar os pequenos agricultores a práticas mais sustentáveis de produção. “A preocupação se baseia em projeções da ONU, que estima aumento de 70% no abastecimento de alimentos até 2050, embora os recursos da agricultura e da aquicultura sejam finitos”, explica João Carlos de Oliveira, presidente da Associação Brasileira de Automação-GS1 Brasil.

A GS1 participa de grupos de trabalho em vários países que atuam em projetos destinados a superação da fome e da desnutrição da população mundial, em função do seu aumento. Processos de padronização de identificação e de rastreabilidade eficientes desenvolvidos pela GS1 podem contribuir para redução significativa da perda de produção de alimentos, gerar mais produtividade, preservar a biodiversidade e os ecossistemas, melhorar o trabalho no campo, reduzir o impacto ambiental, melhorar a renda de todos os trabalhadores envolvidos e diminuir o êxodo rural.

“Felizmente, percebemos hoje um bom nível de conscientização dos envolvidos na cadeia de abastecimento em apoiar iniciativas como as do UNGC FAB e da Declaration of Abu Dhabi”, afirma João Carlos de Oliveira. “Os consumidores terão mais estabilidade dos preços e maior segurança dos alimentos se a cadeia de abastecimento se preparar desde já para amenizar a crise alimentar e tornar a agricultura mais sustentável.”

Identificação

De acordo com o planejado, a GS1 fornecerá o que está sendo chamado de Global Farm ID Registry Service. Um serviço padronizado para que os agricultores de todo o mundo se registrassem para receber a identificação única – uma forma de registrar as propriedades rurais que estiverem em conformidade com os princípios de melhores práticas da UNGC FAB. Ao se registrar, a propriedade terá a condição de receber “apoio à capacitação” do UNGC e outras agências da ONU.

A implantação do projeto está prevista por meio de um programa piloto com início em junho de 2015. As organizações envolvidas esperam que cerca de vinte países e 500 mil fazendas sejam envolvidas. Espera-se construção dos três pilares operacionais dessa iniciativa:

• Um conjunto comum de boas práticas agrícolas;

• Um sistema único de identificação de cada propriedade rural;

• Um mecanismo para garantir o empenho das cadeias de abastecimento.

O documento que resultará em um conjunto de orientação das melhores práticas agrícolas nessa iniciativa será acessível a todos, como um recurso de código aberto para uso facultativo, flexível. O sistema único de identificação e o mecanismo comum de comunicação serão ferramentas adicionais para o alinhamento de esforços para a máxima eficiência, transparência e impacto. “A GS1 continua trabalhando para estabelecer uma linguagem comum global para a agricultura sustentável”, declara João Carlos de Oliveira.