Comando para Ignorar Faixa de Opções
Ir para o conteúdo principal
Bem-vindo à GS1 Brasil A Linguagem Global dos Negócios
Navegar para Cima

Skip Navigation Linkslogistica

Compartilhe:
12/08/2013

Logística

Logística.jpg 
A Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (Abcomm) divulgou nesta semana seu primeiro estudo sobre a logística no e-commerce brasileiro.
 
Acompanhe nossas atualizações no Facebook ​e no LinkedIn.
 
Com apoio da Brazil Panels e da Ecommerce School, a pesquisa coletou 585 questionários online entre 10 e 20 de junho deste ano. Destes, foram considerados válidos 225 questionários (lojas virtuais – varejo de bens de consumo). Considerando um universo de 11 mil lojas virtuais no Brasil, a margem de erro da pesquisa foi de 6% com grau de confiança de 95%.​ 
 
Com base nos 225 respondentes, 82% afirmaram ter armazenagem própria, 10% disseram trabalhar com modelo híbrido (própria e terceirizada) e 7% somente terceirizada.
 
 
Quanto ao transporte, os Correios são o meio mais utilizado pelos comércios eletrônicos (93%), seguido por transportadora privada (35%) e frota própria (13%). 
 
Segundo a pesquisa, apesar do custo mais alto do frete aéreo, o mesmo aparece com 26% de uso pelas lojas virtuais. Produtos com pouca cubagem e alto valor agregado, tais como cosméticos, roupas, celulares e tablets, se beneficiam desse modal. Dez por cento das lojas virtuais entrevistadas utilizam serviços de courier, principalmente para entregas no mesmo dia, nas capitais.  Por fim, 64% optam pelo rodoviário. 
 
Diante desse contexto, um dos gargalos apontados pela Abcomm é a infraestrutura logística brasileira.