Comando para Ignorar Faixa de Opções
Ir para o conteúdo principal
Compartilhe:
29/09/2016

Padronização GS1 auxilia Parmíssimo a realizar recall de queijo ralado

Código de barras permite identificar produtos cujos lotes apresentaram alteração

A Parmíssimo Alimentos, empresa gaúcha com sede em Viamã/RS, contou com o auxílio dos Padrões GS1 para realizar a retirada de alguns lotes de queijo parmesão ralado após a constatação de que não havia garantia de qualidade e inocuidade. O pedido de recall partiu da própria indústria, que procurou a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para comunicar a suspeita em relação aos produtos. “A padronização obtida via código de barras GS1 ajuda, e muito, a identificar alimentos no caso de alguma desconfiança quanto às suas propriedades”, afirma o diretor da Parmíssimo, Jorge Luiz Kunzler, ao destacar que a fábrica opera com foco na proteção ao meio ambiente em todas as etapas da linha de produção e prima pela qualidade dos produtos, tendo em vista a segurança dos consumidores. 

O código de barras permite a captura automática dos dados, facilitando a automação dos processos e tornando-os mais eficientes e confiáveis. Mas, para que isso aconteça, é necessário que sejam adotados os padrões corretos. A Associação Brasileira de Automação - GS1 Brasil é responsável, no País, por disseminar Padrões Globais de identificação, captura automática e compartilhamento que garantem o pleno funcionamento da tecnologia. 

É a entidade que é responsável pelo gerenciamento e atribuição do GTIN – Número Global de Item Comercial, código mundial usado para identificar os produtos de forma única e exclusiva – é como se cada item tivesse o seu RG. É esse número que vai representado em forma de barras e  são usados para a leitura óptica no caixa no momento da venda. “Além disso, o código de barras facilita o controle de circulação de mercadorias em todas as etapas do processo, seja no recebimento nos depósitos ou em qualquer outra fase que seja necessária a captura dessas informações de forma automática”, destaca o presidente da GS1 Brasil, João Carlos de Oliveira.

Cada código de barras, dentro de suas características, permite a rápida captação de dados, velocidade nas transações, precisão nas informações e atualização em tempo real. Tudo isso permite maior controle, diminuição de erros, gerenciamento remoto, velocidade no atendimento de pedido e clientes e redução de custos com erros de digitação e desvios. “Por isso, queremos utilizar ao máximo as ferramentas que a GS1 disponibiliza, de forma a ter informações precisas e agilidade na identificação de dados”, afirma Jorge.

A meta da Parmíssimo, agora, é implementar o código logístico GS1 128, pois ele pode conter todas Chaves de ID GS1, e também as informações variáveis, como números de série, datas de validade,  número de lote além de informações variáveis como peso liquido e peso bruto.. Essa ferramenta assumiu importância consideravelmente maior nos últimos anos justamente aos requisitos crescentes de rastreabilidade mais rigorosa de produto. A etiqueta de transporte com um código de barra GS1-128 sobre o produto é o ponto central de qualquer sistema de rastreamento baseado em padrões globais.
 

Cristine Pires
Jornalista MTB 7847
cristineapires@gmail.com
(51) 9315-9381