Comando para Ignorar Faixa de Opções
Ir para o conteúdo principal
Compartilhe:
06/05/2015

Sistema GS1 impulsiona o bom desempenho do setor da distribuição no país

Na contramão da estagnação da economia do país, o setor do atacado distribuidor comemora crescimento acima do PIB. Em levantamento divulgado hoje pela entidade que agrega os players da distribuição no Brasil – a Associação Brasileira de Atacadistas e Distribuidores (Abad) – em 2014 o desempenho do segmento foi 0,9% maior do que em 2013, em termos reais, o que representa um faturamento de R$ 211,8 bilhões. O Produto Interno Bruto cresceu 0,1%.

Os processos automatizados oferecidos pela Associação Brasileira de Automação-GS1 Brasil aos seus associados certamente contribuem para o desempenho dos atacadistas, já que padrões de codificação da GS1 Brasil (códigos de barras, entre outros) contribuem para inúmeras decisões comerciais. De acordo com o assessor de negócios da entidade, Edson de Matos Lima, "maior assertividade no planejamento, previsão e reabastecimento, fluxo de entrada e saída de informações detalhadas sobre as movimentações na cadeia de suprimentos, prevenção de perdas e redução de custos são os benefícios fundamentais colhidos pelos distribuidores que optam pelos padrões GS1 de identificação de produtos".

Para o segmento de distribuição, a GS1 Brasil orienta o processo automatizado de recebimento, verificação e registro, por meio dos códigos de barras GS1-128, que carrega informações adicionais como número serial, número de lote, data de validade e quantidades; e o ITF-14, que possibilita um ótimo desempenho de leitura e pode, por exemplo, ser impresso em uma caixa de papelão. Dessa forma, o tráfego das informações dos itens nos sistemas automatizados da cadeia de suprimentos ganha fluxo dinâmico em tempo real.

A gestão e a redução de custos das cadeias de suprimentos, atacadistas e distribuidores precisam obter informações precisas sobre suas mercadorias. Seus clientes, por sua vez, precisam ter acesso a informações atualizadas sobre a localização de suas cargas. Quando distribuidores e varejo têm acesso ao conhecimento em tempo real sobre o fluxo de produtos e transações em suas cadeias de suprimentos, podem tomar decisões que geram valor comercial.