Comando para Ignorar Faixa de Opções
Ir para o conteúdo principal
Bem-vindo à GS1 Brasil A Linguagem Global dos Negócios
Navegar para Cima

Skip Navigation LinksCombate-a-Falsificacao

Compartilhe:

Combate a Falsificação

A falsificação tornou-se tão sofisticada que, em alguns casos, mesmo as empresas cujos próprios produtos foram copiados não conseguem diferenciar entre o verdadeiro e o falso sem realizar testes químicos.

Apesar dos esforços em barrar a entrada desses produtos falsificados, muitas vezes acabam chegando aos mercados.

O Padrão Global de Rastreabilidade GS1 pode ajudar, principalmente para o setor da Saúde. A identificação única para cada uma das embalagens de um produto médico, fornecerá aos sistemas de rastreabilidade e autenticação uma tecnologia prontamente disponível, dificultando a penetração de falsificadores na cadeia de suprimentos para o setor da saúde.

Em dezembro de 2013 foi publicada uma norma no diário Oficial da União informando que a partir de agora, as embalagens dos remédios deverão conter uma identificação única, capaz de permitir ao usuário saber todo o histórico e localização do produto além se verificar se ele é original e tem procedência legal, evitando assim contrabando e falsificações. As regras finais do Sistema Nacional de Controle de Medicamentos (Lei nº 11.903/2009) foram aprovadas pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) e têm que ser totalmente implementadas no prazo de três anos. No entanto, o governo estabeleceu o prazo de dois anos para que cada fabricante apresente ao menos três linhas de produto que sigam o novo sistema. O Sistema Nacional de Controle de Medicamentos (Lei nº 11.903/2009) surgiu para aprimorar os mecanismos de rastreabilidade e autenticidade de medicamentos no Brasil e dar uma resposta efetiva à informalidade. De acordo com a Anvisa, 20% dos medicamentos vendidos no país são falsos.

A rastreabilidade é a ferramenta para as empresas comprovarem a procedência de seus produtos e, atualmente, é uma demanda para a grande maioria dos setores.

Com o número cada vez maior de casos de falsificação e roubo de cargas, aliado à necessidade de melhoria de controles de produção e de rastreabilidade, as empresas estão ávidas por uma solução de baixo custo.

  • Há mais de trinta anos, a identificação de produtos com código de barras vem suprindo parte desta necessidade, permitindo a captura automática do código do item Porém, mais recentemente, outras informações do produto passaram a ser controladas e a maneira mais eficiente e viável é inserir esses dados no código de barras.

  • Essas outras informações necessárias para o controle e a rastreabilidade dos itens podem variar de setor para setor, mas já é bem claro que o lote e a validade dos produtos são comuns à maioria dos segmentos.
  • Para que todos os usuários consigam capturar as informações do produto, é fundamental que se utilize uma estrutura de dados padrão global, como o Sistema GS1, que já é utilizado por mais de 1.2 milhões de empresas.